CARACTERIZAÇÃO DE RECÉM-NASCIDOS DE BAIXO E MUITO BAIXO PESO EM USO DE CPAP NASAL EM UMA UTI NEONATAL DO OESTE DO PARANÁ

Autores

  • Reywerson Cavalheiro
  • Zildamara Bezerra Lima
  • Gleice Fernanda Costa Pinto
  • Gabriel, Marcos Antonio Da Silva Cristovam
  • Nelson Ossamu Osaku

DOI:

https://doi.org/10.16887/fiep%20bulletin.v82i2.2241

Palavras-chave:

Pressão positiva contínua nas vias aéreas, ventilação mecânica, prematuridade.

Resumo

No Brasil a incidência de recém-nascidos prematuros situa-se em torno de 11%, e na população das UTI´s neonatais é próximo dos 50%. Os recém-nascidos (RN´s) são especialmente acometidos de doenças pulmonares, sendo uma das principais causas de morbimortalidade. Dentre as várias estratégias atuais para o tratamento destes neonatos, a pressão positiva contínua nas vias aéreas com pronga nasal (CPAP nasal) tem sido utilizada por ser um modo ventilatório eficaz e não invasivo, além do baixo custo. O estudo sobre a prevalência de CPAP nasal em RN´s de baixo e muito baixo peso na UTI neonatal do HUOP abrangeu um período de 12 meses, sendo selecionados 23 RN´s que atendiam os critérios de inclusão e exclusão. A grande maioria dos RN submetidos à CPAP ocorreu após um período de ventilação mecânica invasiva. Foram analisados os registros clínicos e laboratoriais, no momento do início e suspensão da terapêutica. A maior parte dos RN recebeu aplicação da técnica de CPAP entre 36 a 48 horas. Concluiu-se que o percentual dos RN´s que tiveram sucesso (35%) e aqueles considerados como falha (25%) terapêutica, evoluindo para ventilação mecânica invasiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Como Citar

Cavalheiro, R., Lima, Z. B., Pinto, G. F. C., Cristovam, G. M. A. D. S., & Osaku, N. O. (2012). CARACTERIZAÇÃO DE RECÉM-NASCIDOS DE BAIXO E MUITO BAIXO PESO EM USO DE CPAP NASAL EM UMA UTI NEONATAL DO OESTE DO PARANÁ. Fiep Bulletin - Online, 82(2). https://doi.org/10.16887/fiep bulletin.v82i2.2241

Edição

Seção

TRABALHOS PUBLICADOS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)