PREVALÊNCIA DE DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES EM ENFERMEIROS

Autores

  • MILENA NUNES ALVES DE SOUSA
  • GENILDO MEDEIROS DA SILVA
  • TARCIANA SAMPAIO COSTA
  • ROSA MARTHA VENTURA NUNES
  • HELLEN RENATTA LEOPOLDINO MEDEIROS

Palavras-chave:

Ergonomia. Trabalhador de Enfermagem. Distúrbios Osteomusculares.

Resumo


Objetivo: verificar a prevalência de distúrbios ostemusculares relacionados às atividades laborais em um grupo de enfermeiros. Método: estudo exploratório, com abordagem quantitativa, realizado com 40 enfermeiros (30% da população-alvo) plantonistas de um hospital público da Paraíba a partir da aplicação de um questionário, analisado estatisticamente. Resultados: houve predominância de adultos jovens, do sexo feminino, casados, com vínculo empregatício não efetivo. A prevalência de sintomas dolorosos foi de 87,5% e as principais manifestações foram: lombalgia (29,4%,) dor na cervical (20,7%), dor nos tornozelos e pés (16,4%), região dorsal (10,9%), ombros (9,8%), joelhos (5,4%), mãos e punhos (5,4%), coxas e braços (2%). A postura inadequada por tempo prolongado foi indicada como principal fator para o aparecimento dessas lesões, seguido pelo esforço físico e carga horária excessiva. Conclusão: os resultados apresentados neste estudo nos direcionam para um repensar nas condições de trabalho e nas possíveis estratégias para transformar o cenário do adoecer por fatores decorrentes do trabalho na Enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Como Citar

SOUSA, M. N. A. D., SILVA, G. M. D., COSTA, T. S., NUNES, R. M. V., & MEDEIROS, H. R. L. (2016). PREVALÊNCIA DE DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES EM ENFERMEIROS. Fiep Bulletin - Online, 85(1). Recuperado de https://www.fiepbulletin.net/fiepbulletin/article/view/85.a1.131

Edição

Seção

TRABALHOS PUBLICADOS