AVALIAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA E DO PICO DE FLUXO EXPIRADO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES FIBROCÍSTICOS

Autores

  • ARIANE MOREIRA DA SILVA
  • REGIS JEAN SEVERO
  • DANNUEY MACHADO CARDOSO
  • JEFFERSON VERONEZI
  • DULCIANE NUNES PAIVA

Palavras-chave:

Fibrose cística, diferentes posturas, manovacuometria

Resumo

Introdução: A fibrose cística caracteriza-se por doença pulmonar obstrutiva crônica, aumento de eletrólitos no suor e insuficiência pancreática exócrina. É possível que a força muscular respiratória (FMR) esteja reduzida nessa população e que determinadas posturas impliquem em maior redução da FMR e do pico de fluxo expiratório (Peak Flow). Objetivo: Observar se há redução da PImax e PEmax e do Peak Flow em pacientes fibrocísticos sob diferentes posturas. Materiais e Métodos: Estudo observacional descritivo e transversal, composto por seis pacientes de ambos os gêneros e idade entre 6 e 18 anos. Foram realizadas três aferições da FMR através da manovacuometria digital (MVD 300 Globalmed®) e do pico de fluxo expiratório (Peak Flow Meter®) nas posições Fowler 45º, sedestação (sentado a 90º) e ortostase, sendo também avaliados os sinais vitais durante as variações posturais. Resultados: Ao comparar os valores da PImax e da PEmax obtidos com valores preditos não houve variação (PImax = 67,00 e 69,18 cmH2O e PEmax = 86,00 e 90,60 cmH2O) (p = 0,917). A ortostase apresentou o maior valor de PImax e PEmax (68,50 cmH2O e 95,50 cmH2O respectivamente). Ressalta-se que houve variação da PImax em Fowler 45° para ortostase (p=0,03), enquanto a PEmax não apresentou variação significativa entre as posturas. O pico de fluxo expiratório por sua vez, apresentou-se estatisticamente reduzido nesses pacientes (p = 0,046). Conclusões: A FMR dos fibrocísticos analisados não variou em relação ao predito, porém a variação de Fowler 45° para ortostática determinou variação significante. A ortostase resultou nos maiores valores obtidos de PImax e PEmax. O Peak Flow demonstrou obstrução das vias aéreas altas e não variou com a mudança postural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Como Citar

SILVA, A. M. D., SEVERO, R. J., CARDOSO, D. M., VERONEZI, J., & PAIVA, D. N. (2013). AVALIAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA E DO PICO DE FLUXO EXPIRADO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES FIBROCÍSTICOS. Fiep Bulletin - Online, 83(2). Recuperado de https://www.fiepbulletin.net/fiepbulletin/article/view/2783

Edição

Seção

TRABALHOS PUBLICADOS